Sexta-feira, 21 de Outubro de 2011
QUANDO ME AMAS
 
 

Quando navegas em meu corpo, amor,

Tudo parece conjugar-se harmoniosamente.

As tuas maos ondulantes

Acariciando a areia fina da minha pele,

Levantam ondas de fogo

Que a minha alma vai libertando.

Os teus labios procuram nos meus

Os monossilabos que vao matando

A tua sede de paixao.

Nos teus olhos eu descubro o infinito.

Nesse momento, amor,

Eu quero que o tempo pare.

Quero eternizar esse saciar

Dos nossos desejos.

Quero que encontres no meu mar,

Todas as sereias que,

O teu imaginario produzio.

Quero que encontres nos meus seios,

O conforto dos seios que um dia te alimentaram.

Quero que encontres no meu abraco

Todos os carinhos que se perderam no tempo.

Quero que renascas em mim

E para sempre mergulhes

Ate as profundezas do meu ser. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  


tags: ,

publicado por sopa-de-letras às 19:38
link do post | comentar | favorito
partilhar

mais sobre mim